Costa Rica

Costa Rica, pura vida, puro surf

por fábio arruda

IMG_8227

Oceano Pacífico, Oceano Atlântico, vulcões, vida silvestre abundante, população tranqüila e muita onda, essa é a Costa Rica.
Pura vida é o slogan local, dito a toda hora pelos moradores locais, funciona como um “olá” ou “até mais” e expressa o astral do país. Localizado na América Central, entre Nicarágua e Panamá, a Costa Rica é uma grande democracia não existe exército e devido a excelentes ondas por todo o litoral, acesso fácil e custo acessível até para nós brasileiros vem se tornando um país puro surf.

IMG_6633 IMG_9077 IMG_9276 IMG_8056 IMG_8033 - Cópia

A partir da capital, San José, escolhe-se por onde começar, norte ou sul? Atlântico ou pacífico? Carro ou ônibus? Praias ou montanhas? Enfim deve-se pesquisar bem, definir quanto se tem para gastar, relacionar, por ordem de prioridades, seus interesses e tentar aproveitar um pouco de tudo.
No caso do surf, pode-se alugar um carro logo no aeroporto, colocar as pranchas no rack, ter conhecimento prévio do swell e tocar para o litoral do pacífico que tem as melhores condições.
No extremo sul do país, no lado pacífico, você encontrará uma das mais populares e espetaculares ondas do país, Pavones. Pavones é: cidade pequena, pouca estrutura, barata, camping, fundo areia com pequenas pedras, água quente e uma onda esquerda de sonho, longa, constante, considerada uma das melhores esquerdas do mundo.
Ondas com 15 pés de altura e 1 km de extensão, nos melhores dias do swell. Quer mais? Não precisa de roupa de borracha, é possível acampar em frente ao pico sem problemas, existem pousadas baratas, pequenos supermercados e bons locais para comer, o verdadeiro “soul surf”.

IMG_6874

IMG_6810 IMG_8077

De San José a Pavones, são aproximadamente 8 horas de carro, é importante lembrar que quando estiver dirigindo em um outro país é necessário redobrar a atenção, pois problemas no trânsito sempre causam muita dor de cabeça em uma viagem. Lembre-se também de tirar uma licença internacional para dirigir, sempre é bom ter uma, informe-se no Detran como proceder.
Determine pelo menos uma semana em Pavones, se tiver sorte de pegar um swell você não vai querer sair de lá. A onda de Pavones é perfeita, satisfaz o surfista experiente com manobras fortes, porém é uma onda fácil de surfar, com um drop tranqüilo tornando-se perfeita também para longboarders ou surfistas com poucas habilidades.

IMG_7517

A onda é tão longa que da praia você não consegue ver o começo e o fim da mesma onda, em cima da prancha, se você não estiver com um bom preparo físico nas pernas, vai precisar descansar na onda alguns segundo e depois seguir manobrando. O fim da onda é tão longe do começo que a melhor opção é voltar andando pela praia com as pernas bambas e com um sorriso enorme no rosto, Pura Vida!
Se tiver tempo pegue um ônibus e viaje pelo país, parando nos picos de acordo com a direção do swell que você pode acompanhar facilmente pela internet ou trocando idéias com a centena de surfistas que é possível encontrar por todo o país. Se o tempo for curto alugue um carro e desloque-se mais rápido.

IMG_6827

Saindo de Pavones em direção ao norte do país existem centenas de picos maravilhosos, além de esquerdas de sonho, direitas perfeitas, ondas tubulares de fundo de coral e praias desertas. Matapalo, Dominical, Jacó Beach, Playa Hermosa, Avelhanas, Playa Negra, Tamarindo, Hermosa, Witches Rock and Ollie’s Point são alguns desses picos.
Não deixe de conhecer a Costa Rica é onda pura, experiência pura, riqueza pura é PURA VIDA!

Quando ir:
Costa Rica tem onda o ano inteiro variando entre o norte, o sul, o atlântico e o pacifico. De dezembro a abril é verão, sol, alta estação, preços mais altos e crowd. Maio a novembro é época das chuvas, baixa estação.

Pousadas e restaurantes:
Em todas as praias existem várias opções de hospedagem e alimentação, dos mais simples aos mais sofisticados e os preços são similares aos praticados no Brasil.

Outros toques:

fabio-blog
Fábio Arruda
Documentarista, ambientalista e professor. Autodidata, especialista em fotografia ambiental, viajou por mais de 750 cidades em 15 países de todos os continentes.

Confira outras impressões: