Islândia,

do sonho à realidade na terra do gelo.

por fábio arruda

A Islândia, inicialmente, era um sonho da Viviane que não demorou muito se tornar um sonho nosso. Conhecer a ilha mais viva da terra, de natureza bruta e intensa gerou um obsessão que passamos a compartilhar.

Foram dois anos pesquisando, o planejamento é a principal etapa de uma viagem, além da parte financeira, logística de deslocamentos, períodos e datas tivemos que estudar muito a geografia do país e nossa adaptação ao clima.

A Islândia é um dos destinos mais caros do mundo, esse era o principal fator que nos separava de nossa meta, porém em nossas pesquisas encontramos uma opção real de viajar pela ilha economizando bastante e tornando a viagem totalmente viável: Rodar o país dentro de um carro, economizando na hospedagem, na alimentação e com total liberdade para escolher nossa rota.

Com a parte terrestre definida, veio a parte aérea, a forma mais barata seria com dois voos, ficamos monitorando passagens para a Europa ou América do Norte, a melhor opção foi Fortaleza – Frankfurt pela Condor, aí de lá para Reykjavik, capital da islândia. Foi tudo perfeito.

Voo de Fortaleza a Frankfurt, 11 horas de duração.

Como íamos “morar” dentro de um carro tivemos que adquirir roupas especiais para suportar as baixas temperaturas. Nos alimentamos no interior do carro, no primeiro dia fomos a um supermercado e abastecemos o carro de massas, molhos, frios, snacks etc. Essa opção fez parte do planejamento financeiro, a alimentação na Islândia é muito cara e poderia inviabilizar a viagem.

Foi tranquilo viajar de carro, as estradas são muito bem sinalizadas, nossa surpresa foi somente dirigir durante algumas tempestades de neve, mas no final tudo deu certo e a experiência foi maravilhosa.

Nosso HappyCampers nas estradas da Islândia.

A ilha em si é a atração. Uma overdose de imagens impactantes para todos os lados. Fizemos uma pesquisa pelo Instagram e Google Maps de pontos de interesse (cachoeiras, fiordes, geleiras, vulcões e um pouco de vida selvagem) e traçamos um roteiro geográfico, tudo maravilhoso. Você pode ver detalhes do nosso trajeto no MyMaps.

Da natureza bruta da ilha, quase intocada em alguns pontos, com todos os seus elementos (terra, fogo, ar e água) na forma mais intensa que pode existir, foi um mergulho por uma geografia que remete a eras geológicas da criação do planeta. Esse tema sempre foi fascinante para nós e poder andar por crateras de vulcões, ver atividades geotermais e água brotando do chão com até 100° de temperatura foi incrível.

O ambiente da Islândia é propenso a poucas espécies de vida selvagem, algumas aves marinhas, com destaque para os puffins (Fratercula), também conhecido como papagaio-do-mar. Foi uma aventura a parte chegar até seus ninhos, eles se encontram na ponta mais oeste da ilha, portanto o extremo oeste da Europa, em um fiorde chamado de Látrabjarg. Um dos bichos mais lindos que tive o prazer de ver e fotografar. Tivemos também agradáveis contatos com os cavalos islandeses, lindas espécies descendentes dos cavalos vikings. O único mamífero terrestre que conseguiu chegar a ilha em sua formação foi a raposa do ártico, todos os outros foram introduzidos pelo homem.

 

 

Quando definimos a época da viagem já sabíamos que seria muito difícil ver a aurora, que é mais visível no inverno. Foi uma questão de escolha durante o planejamento, seria muito mais difícil viajar no inverno e descobrimos que a ilha é surpreendente e que teriam várias outras paisagens que são impossíveis no inverno. Mas temos a intenção de voltar especificamente para ver a aurora boreal.

Pesquisem bastante, definem seus interesses, isso será importante para a escolha da melhor época da sua viagem e não subestimem o clima da Islândia.

Nossa viagem gerou uma websérie que começou a ser veiculada pelo youtube, são dois episódios por semana, mostrando o dia-a-dia de toda a aventura pela terra do gelo.

Viajamos com o patrocínio na Islândia da Happy Campers – https://happycampers.is/
e com o apoio da Northbound – https://www.northbound.is/